Aqui ao Luar...

Junho 30 2010

Ai... as férias são só para alguns... pois é... eu tenho estado a trabalhar... pronto pronto, fui eu que me voluntariei... mas nunca pensei que tomar contra de crianças numa colónia custasse tanto. Estou ''podre'' de sono... os olhos começam a fechar-se... o mundo parece cair-me sob a cabeça e tudo o que importava deixou de importar... os sorrisos deles fazem com que valha a pena... mas não deixo de me sentir a desfalecer... a sentir que o fim da colónia só vai facilitar a chegada de problemas... não são bem problemas, são confusões...Pensei que a última sexta de aulas não tivesse significado nada, pensei que ele- o J-  estava apaixonado por qualquer outra colega... mas não. Não queria mesmo nada magoa-lo. Ele é uma excelente pessoa, não merece ficar agarrado a alguém como eu, não... ele não devia sofrer por isso. Só espero que ele perceba que não mereço que ninguém se apaixone por mim e mude o seu rumo. Tudo isto faz com que não esteja só cansada fisicamente, mas também psicologicamente... Estou cansada de todas estas confusões amorosas... de não saber o que fazer... e as vezes de nem saber o que sinto. Porque é que o mundo tem de ser tão complicado?! Ai... o amor ou a paixão (chamem-lhe o que quiserem) torna-se tão complicada e chata... aborrecida não...mas uma fonte de incerteza sim. Era tudo tão mais fácil se as pessoas não gostassem de mim... se se limitassem a ignorar-me. Mas parece que ninguém consegue fazer isso. Posso ser a pior pessoa do mundo ( ou uma delas) que toda a gente continua a confiar em mim e pelos vistos a gostar de mim. Tanta gente à procura de namorado... mas não vale a pena pensar nisso, o que tiver de acontecer acontece, ne?!

 

Mas voltando aos meus meninos... conseguem ser os seres mais teimosos do mundo e ao mesmo tempo os mais amorosos... os risos deles são sinceros, sem aquela hipocrisia e interesse que os sorrisos e os risos começam a ganhar com o tempo. Aqueles não. Aqueles são puros, quer sejam de me estarem a tentar contrariar e desafiar, quer seja porque se estão apenas a divertir. Eles sim. Eles sabem o que realmente a vida e que perguntas valem a pena ser feitas. Quanto mais tempo passo com eles mais tenho a certeza que nos mantemos iguais desde o dia em que nascemos até ao dia em que morremos, falamos acerca de tudo sem sabermos o que realmente dizemos, fazemos sempre perguntas que em nada alteram o mundo...Aliás nós em nada alteramos o mundo... nunca... ele continua o seu imaculado percurso independentemente de tudo o que façamos...Hoje estou a divagar muito, desde o fim das aulas que as minhas ideias andam desarrumadas...

 

Voltando aos miudos... aquelas coisinhas adoraveis... hoje uma delas fez-me fazer (passo a redondancia) 4 barquinhos de papel nuns minimos pedaços de papel, enquanto a tentava ensinar a faze-los, dois minutos depois já estavam todos a pedir mais... e na água, tenho de os chamar quinhentas vezes, molham-me toda, mas quando me vou embora andam a minha procura...

 

Não me importava de ser para sempre uma criança... rir... não ter medo do mundo, enfrenta-lo de cabeça erguida... beijar e abraçar por carinho

 

É também com um beijo cheio de carinho que termino este horrivelmente confuso post...  :D

publicado por qb às 18:51

(blog encerrado - novo blog: ''B's side'')
mais sobre mim
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
17
18

22
23
25
26

27
28
29


pesquisar
 
blogs SAPO